Thursday, October 09, 2008

As culpas da crise


A respeito da culpa do FED (supostamente por, devido aos juros baixos, ter estimulado o sobre-endividamento) - se conseguir sair da minha apatia (os leitores já devem ter reparado que nos ultimos tempos isto tem sido só cópias de outros artigos) nos próximos dias irei escrever dois ou três posts criticando a teoria austríaca dos ciclos económicos, onde abordarei (indirectamente) essa questão. No entanto, aproveito para notar uma coisa: muitas pessoas, durante as crises, dizem que estas são resultado de uma expansão artificial provocada pelo crédito fácil; mas já não são tantas as que, durante os periodos de crescimento económico, dizem que este é (pelo menos parcialmente) é uma expansão artificial provocada pelo crédito fácil (por vezes, podem dizê-lo retroactivamente, quando surge a crise).

Mas agora, vamos à questão do Fanny Mae e do Freddy Mac. Primeiro, para quem não sabe, a Fanny Mae (Federal National Mortgage Association) foi uma agência criada durante o New Deal para re-comprar hipotecas sobre casas, tendo sido privatizada nos anos 60. Nessa altura, foi também criado o Freddy Mac (Federal Home Loan Mortgage Corporation), com o objectivo explicito de criar concorrencia nesse mercado.

Recorde-se que a presente crise tem a ver com os chamados "activos tóxicos", que são fundamentalmente obrigações baseadas em hipotecas, cujo rendimento depende dos pagamentos que os devedores das hipotecas fazem (ou não).

O argumento de que a culpa é dos "FMs" é de que eles eram os principais compradores dessas obrigações. Mas, mesmo que isso seja verdade, que culpa têm os FMs de as outras instituições financeiras também terem feito bastantes investimentos em "OBHs"? Afinal, o problema actual não são os "activos tóxicos" detidos pelos "FMs" (esse problema já foi resolvido há umas semanas, com a espécie de nacionalização dessas duas instituições); são os que são detidos por mais uma carrada de bancos, sociedades financeiras, etc.

Na verdade, até me dá a impressão que o facto de as FMs terem feito muitos investimentos em "OBHs" até deveria fazer com que as outras instituições investissem menos: as FMs, ao comprarem OBHs, fariam subir o seu valor de mercado, o que faria reduzir a sua taxa de rentabilidade esperada (rendimentos previstos/preço) tornando-os um investimento menos atractivo para os outros bancos.

5 comments:

Diogo said...

Money as Debt – Dinheiro é Dívida

Já alguma vez pensaram porque é que os bancos têm tanto dinheiro, enquanto os países, as empresas e os indivíduos estão tão endividados?

Neste vídeo, «Money as Debt» [Dinheiro é Dívida], Paul Grignon pega num assunto tabu e, de forma inteligente e divertida, torna-o num tópico facilmente inteligível. Costuma dizer-se que a verdade liberta, mas primeiro, costuma deixar-nos zangados. Depois de conhecer a verdadeira história do sistema bancário já não é possível voltar à crença mística da banca como um elemento útil da sociedade.

O vídeo revela os mitos e os conceitos relativos à história do dinheiro. Toda a gente gosta de dinheiro, toda a gente o deseja, toda a gente precisa e depende dele. O que quase ninguém percebe são os fundamentos do dinheiro. O que é o dinheiro e donde é que ele vem? Estas são algumas das difíceis realidades que Grignon expõe em linguagem simples.

Este curto segmento (8:20m) do vídeo conta a história de um ourives do Renascimento, e de como ele começou a cobrar juros de um ouro que não possuía e que não existia. Em suma, a essência da banca.

Os primeiros oito minutos e vinte segundos (8:20m) do vídeo 'Money as Debt' - legendados em português.

Migas said...

O argumento de que a culpa é dos "FMs" é de que eles eram os principais compradores dessas obrigações.

Muito mais do que isso. Os FMs compravam cerca de 50% das hipotecas a outros bancos. Esses bancos assumiam riscos demasiado elevados por saber que os FMs iriam comprar as hipotecas e assumir o risco.

Miguel Madeira said...

"Muito mais do que isso. Os FMs compravam cerca de 50% das hipotecas a outros bancos. Esses bancos assumiam riscos demasiado elevados por saber que os FMs iriam comprar as hipotecas e assumir o risco."

Mas vamos lá ver - a crise actual existe porque várias instituição financeiras têm bastantes "OBHs" (sigla inventada por mim) que se desvalorizaram.

Se o problema fosse as FMs terem comprado hipotecas de alto risco (e, assim, incentivado as empresas de crédito a conceder empréstimos de alto risco) isso teria posto as FMs à beira da falência (como aconteceu) mas não devia ter tido efeitos sobre os bancos de investimento e afins.

Miguel Madeira said...

Por outras palavras - porque é que o facto de as FMs terem comprado muitas hipotecas e OBHs levou a Goldman-Sachs (p.ex.) a comprar também muitas OBHs?

BZ said...

"porque é que o facto de as FMs terem comprado muitas hipotecas e OBHs levou a Goldman-Sachs (p.ex.) a comprar também muitas OBHs?"

Alan Greenspan chamar-lhe-ia "irrational exuberance"...