Saturday, October 30, 2010

Monarquia e democracia, descentralização e centralização

A respeito desta discussão entre Rui Botelho Rodrigues e Manuel Rezende, penso que os que fazem a associação "monarquia = descentralização; democracia = centralização" estão a confundir correlação e causa.

Sim, é verdade que há uns séculos atrás os Estados eram mais descentralizados e normalmente eram monárquicos, mas creio que não eram descentralizados por serem monárquicos - afinal, há uns 400 anos atrás, a Suíça quase-democrática e a monarquia electiva e parlamentar polaca (em que a percentagem da população com direito a voto se calhar era maior que na I República portuguesa) eram provavelmente dos Estados mais descentralizados da Europa; em compensação, a centralização francesa (que os "contra-revolucionários" atribuem à Revolução) é largamente obra dos Bourbons, a começar por Louis XIV, que abriram o caminho para Robespierre e Napoleão (um dado curioso - a revolta dos "bonnet rouge" contra os impostos de Luís XIV e a "conspiração de Pontacallec"  contra a Regência ocorreram mais ou menos na mesma zona onde viria a ocorrer a chouannerie).

Então qual é o motivo que faz parecer existir essa associação "monarquia = descentralização; democracia = centralização"? Eu suspeito que é o progresso técnico-científico, que por um lado favorece a democracia (já que cria um ambiente de desconfiança perante a tradição e autoridade) e por outro a centralização (já que torna mais eficientes os meios de transporte e comunicação, tornando mais fácil gerir tudo a partir da capital).

2 comments:

Rui Botelho Rodrigues said...

Boa observação. Mas existe a relação, não histórica, mas teórica (um fenómeno moderno). É evidente que existem também democratas descentralistas e monárquicos centralistas, mas em geral o monarquismo da estirpe do Manuel é uma reacção à efectiva centralização que é a característica dos estados democráticos modernos.

mpr said...

http://espectador-portugues.blogspot.com/2010/10/ordem-natural.html