Sunday, February 12, 2006

Religiões e Organogramas

Por mais repugnante que o fundamentalismo religioso possa ser, há uma observação que me ocorreu: são exactamente as religiões sem uma autoridade suprema ou uma "hierarquia de comando" formal, como o islamismo (pelo menos o sunita) ou o cristianismo protestante que conseguem obter dos seús fiéis maior "dedicação à causa" e mais capacidade de mobilização colectiva para causas comuns (por mais execráveis que possam ser essas causas). Pelo contrário, a hierarquizada Igreja Católica dificilmente consegue mobilizar os seus milhões de fiéis (a acreditarmos nas estatísticas) para seja o que fôr.

Revelador, não é?

3 comments:

sabine said...

http://www.ateismo.net/diario/

AA said...

Como se mede "dedicação à causa"?

Como se afere a bondade social da "dedicação à causa"?

Miguel Madeira said...

«Como se afere a bondade social da "dedicação à causa"»

Não se afere. Se a "causa" for "boa", a "dedicação" será "boa"; se for "má", será "má".

O principio que eu pretendia ilustrar com o meu post (a não-necessidade de um hierarquia centralizada formal para pôr um grupo de pessoas a trabalhar para um objectivo comum) verifica-se em qualquer dos casos.