Sunday, May 28, 2006

Os palestinianos e os "irmãos árabes"

Num comentário ao post "Os refugiados do Médio Oriente", "Mentat" refere que "o pior massacre contra palestinianos foi prepertado pela Jordânia o deu origem ao Setembro Negro".

Nesse ponto, "Mentat" provavelmente terá razão (não sei se terá sido o pior, mas foi dos de maior dimensão). Já agora, aproveito para lembrar outro caso: um campo de refugiados palestinianos nos arredores de Beirute, durante a guerra civil. Após várias semanas de confronto entre a OLP, por um lado, e os Falangistas Cristãos e as tropas estrangeiras que os apoiavam, por outro, o campo acabou por ser tomado. Então os Falangistas massacraram os palestinianos a que puderam jogar mão (incluindo centenas de civis).

Esta história é mais ou menos conhecida, só que não se passou só em Sabra e Chatilla em 1982, com "patrocinio" israelita - passou-se em Tel al-Zaatar, em 1976, com o apoio do exército sírio. No entanto, nunca ouvi falar de nenhum processo internacional contra Hafez al-Assad por crimes de guerra.

Aliás, mesmo em Sabra e Chatila, convém recordar que o falangista que comandou o massacre, Elie Hobeika, viria mais tarde a ser um dos protegidos da Síria no Líbano (ou seja, o governo sírio também não se incomodou muito com esses massacres).

Em suma, os palestinianos sofreram, não só às mãos dos israelitas, como também dos governos árabes, tanto "feudais" (ex. Jordãnia) como "nacionalistas burgueses" (ex. Síria).

2 comments:

agitador said...

neste tipo de acontecimentos toda a gente se aproveita, e é erroneo falar em "amigos", pois no fundo tudo se resume a interesses.

a historia é testemunha disso.

no fim quem se lixa são os palestinianos e os inocentes de todos os lados, seja israelita ou outra coisa qualquer.

sinceramente, penso que é altura de olhar para os crescentes movimentos pacifistas palestiniano-israelitas que, apesar de tudo, andam aí.

e deitem abaixo os novos muros da vergonha (que estão a ser construidos por todo o lado), já nos bastou um.

agitador said...

por falar em interesses, no outro dia, a titulo de experiencia, tentei convencer um colega a apoiar a construção de uma autoestrada a atravessar a floresta amazonica.

e não é que consegui?