Friday, July 10, 2009

Penalizações a pais de alunos?


Em primeiro lugar, noto a referencia à "retirada de prestações sociais": se assim for, uma familia que receba prestações sociais será mais penalizada com a indisciplina escolar dos seus filhos do que uma familia de classe média ou alta que não receba essas prestações; ou seja, os meninos da burguesia podem ser indisciplinados à vontade (estou a ser demagógico, é verdade - a petição também fala em multas; mas se a classe média vai ter "multas" e os pobres "multas + retirada de prestações sociais", os custos da indisciplina vão ser maiores para os pobres). Porque é que os peticionários não sugerem também "retirada de beneficios fiscais"?

Em segundo lugar, noto o entusiasmo da direita parlamentar e dos grupos "pró-vida" por essas propostas - é que noutras questões (como a educação sexual ou o cheque-educação) costumam ser dos maiores defensores do "direito" das familias educarem os filhos como bem entenderem. Se estivessemos só a falar de indisciplina era uma coisa (já que a indisciplina escolar prejudica terceiros - os colegas, os professores, etc.); mas também se fala de "absentismo" - ora aí já não defendem o direito das famílias não se importarem que os seus filhos faltem a algumas aulas?

7 comments:

Tárique said...

O que me parece na direita portuguesa é que o conservadorismo é mesmo a sério, e ideológico, o liberalismo é só desculpa para se financiarem e extorquirem.

Tárique said...

Concretizando, o que quero dizer é que acredito mais na sua sinceridade quando os vejo pedirem punições para os pais e mão de ferro com os miúdos do que quando defendem "a liberdade de escolher como educar os filhos".

Anonymous said...

Muito bem pensado. Tenham as virgens ofendidas do costume, a coragem de discutir isto...

Diogo said...

Evidentemente que as famílias onde o pai trabalha nove horas por dia nas obras e a mãe outras nove horas como mulher a dias são os maiores merecedores de sanções.

Filipe Abrantes said...

Contra esta ideia idiota e muito injusta. Mas também injusto é exigir o contrário disto: que professores do público tenham de aturar alunos impossíveis. Embora, admito, quem vai para prof público já saiba o que a casa gasta.

fora de assunto: a reparação da ponte de Portimão/Ferragudo concluída a 2meses de eleições é de MESTRE! Ganda Manel!Passei por lá há dias e disseram que estaria aberta dia 15. Respeito, Manel.

Filipe Abrantes said...

"acredito mais na sua sinceridade quando os vejo pedirem punições para os pais e mão de ferro com os miúdos do que quando defendem "a liberdade de escolher como educar os filhos"."

Ora, ora, nem mais. Estou mesmo a ver o Rui Ramos a "tolerar" uma escola para filhos de pais zen ou alternativos, sem cumprimento do currículo oficial do ME.

Carlos Santos said...

Impecável.