Wednesday, February 11, 2009

A respeito da socialização (em vez de estatização) do sistema de crédito

Jorge Bateira e Nuno Teles têm escrito sobre a «“socialização" ... (não é estatização!)» do sistema de crédito.

Parece que no Reino Unido têm aparecido algumas propostas que podem ser consideradas como uma forma de "socialização sem estatização" - transformar alguns dos bancos nacionalizados em "mutual societies", isto é, uma espécie de "cooperativas" propriedade dos depositantes.

Vários dos bancos que recentemente tiveram que ser "salvos" (como o Northern Rock) eram, até há uns 20 anos, "mutual societies", havendo quem diga que a culpa do seu colapso talvez tenha sido da sua transformação em companhias comerciais, já que, supostamente, as "mutual societies" seriam mais cautelosas no crédito que concediam.

Agora, tenho é muitas dúvidas se há alguma razão lógica para a "mutual societies" terem sido melhor geridas que os bancos tradicionais ou se foi apenas uma coincidência.

2 comments:

Carlos Santos said...

Caro,

Uma visão sobre o tema:
http://ovalordasideias.blogspot.com/2009/02/3-milhoes-de-milhoes-de-usd-por-falta.html

agitador said...

pelo menos por estas bandas, não se ouviu falar do meu banco, ter andado a estender a mao.